top of page
Buscar
  • Foto do escritor Perla Amabile

7 tendências que mais afetarão negócios em 2023

Fique por dentro dos movimentos tecnológicos, culturais e mercadológicos, que podem ser desafios ou oportunidades para seu negócio.


Num mundo tão instável, olhar para frente, entender tendências de consumo e comportamento cultural é a base para construir vantagem competitiva.


O problema é que, diante dessa instabilidade que vivemos hoje, fica difícil prever o futuro com precisão. Mas, é possível, minimamente, a partir de um olhar histórico dos últimos tempos, analisar os movimentos emergentes como base para imaginar futuros prováveis e, assim, abrir a mente para novas possibilidades, mitigando riscos e explorando oportunidades de crescimento, em todos os sentidos.


É esse convite que lhe faço agora: mergulhar no universo de possibilidades que se abriu nos últimos tempos e que, provavelmente, será amplificado em 2023.


1. Conquistar pessoas e construir comunidades engajadas é desafio do momento


As pessoas anseiam por marcas e iniciativas que apoiem suas necessidades de vida diretamente relacionadas ao seu cotidiano e que representem seus valores e causas. Defendem e mostram lealdade àquelas que demonstram o mesmo senso de urgência e empatia pelas dores da comunidade, promovendo ações reais. Falar sobre temas da moda e entrar em conversas sociais só para se fazer presente, não constrói comunidade, apenas gera visibilidade sem efeito. Até porque, em 2023, se consolida o fim dos cookies, ferramenta que tem grande relevância no marketing digital, direcionando anúncios e links patrocinados ao público-alvo. Agora, será mais difícil rastrear dados de navegação e acessar pessoas de forma mais customizada. Construir comunidade e uma base de fãs colabora nesses dois desafios: a dificuldade de conquistar e a dificuldade de acessar as pessoas certas. E se você quer construir sua comunidade, precisa ser ao redor de uma causa ou de valores compartilhados, porque o que nos conecta são dores e valores. Agora reflita: qual o papel do seu negócio na vida das pessoas? Como você poderia agir e se comunicar para gerar conexão afetiva e utilidade na vida das pessoas?


2. Pesquisar por produtos em redes sociais (social search) está se tornando um novo hábito na jornada do consumidor


A falta de confiança na mídia tradicional e a necessidade do fator humano ao longo do processo de tomada de decisão tem levado a maioria dos jovens a recorrer às redes sociais como primeira fonte de pesquisa no momento de realizar uma compra. Isso muda o papel dos buscadores na tomada de decisão de consumo, por exemplo. Agora, é necessário considerar mais pontos de partida na jornada de decisão de um produto ou serviço. Isso significa que seu negócio precisa considerar os canais que são relevantes na descoberta e na pesquisa de produtos como o seu. Gerar conteúdo, realizar reviews de produtos via influenciadores ou mesmo estimular o consumidor a compartilhar informações úteis, começa a ser uma obrigatoriedade nas estratégias em redes sociais, o que já está bem estabelecido no TikTok e no Youtube, por exemplo. Agora, te pergunto: como você usará isso a favor do seu negócio, estando presente nesse novo processo de tomada de decisão, pautado em buscas em redes sociais, para além dos buscadores?


3. Movimento Carbono Zero começa a se tornar popular, fazendo as pessoas serem mais críticas em relação ao impacto das marcas em seu entorno


Um dos maiores desafios que o mundo está enfrentando agora é frear nossas emissões de carbono para que possamos enfrentar a crise climática. Em 2023, haverá progresso contínuo em torno do hidrogênio verde, uma nova fonte de energia de queima limpa que produz quase zero emissões de gases de efeito estufa. A Shell e a RWE, duas grandes empresas europeias de energia, estão criando o primeiro grande oleoduto verde a partir de usinas eólicas no Mar do Norte. Veremos um impulso em direção a uma tecnologia mais sustentável em 2023. As pessoas estarão pensando mais sobre a origem dos componentes e produção das coisas que compram, e as empresas que compensam minimamente seu impacto de carbono de alguma outra forma estarão na preferência dessa nova leva de consumidores conscientes. A reflexão que fica é: como seu negócio pode contribuir com essa necessidade global de redução de carbono? Que atitudes você precisa começar a ter para aplicar essa tendência na sua vida e no seu negócio?


4. Com a saúde mental abalada, aumenta-se a intolerância coletiva, ao mesmo tempo que cresce a busca por bem-estar

Estamos num estado de espírito coletivo de insegurança, gerando o que eu chamo de "modo sobrevivência". Quando um ser humano está sob efeito do medo e do estresse, fica mais desconfiado e receoso em fechar negócios, atuando de forma mais reativa e intolerante em situações que se sente desrespeitado ou prejudicado. Por outro lado, as pessoas buscam alívio e consolo para esse estado emocional desconfortável, buscando recursos para viver cada momento o mais prazeroso possível. As pessoas estão repensando suas prioridades e rotinas, abrindo espaço para um mindset que engloba bem-estar físico, mental, emocional, espiritual e social. É um contraponto interessante, porque prova que toda carência (no caso, de paz mental e financeira) gera uma busca (saúde e bem-estar). Tudo que proporciona bem-estar, estará em alta nos próximos tempos, na lista de prioridades, enquanto tudo que gera sensação de desrespeito está fadado ao cancelamento social. Neste caso, reflita: como você está contribuindo para o bem-estar das pessoas? Está cuidando bem dos seus clientes?

Num mundo tão instável, olhar para frente, entender tendências de consumo e comportamento cultural é a base para construir vantagem competitiva.


5. As pessoas não aceitam mais estarem insatisfeitas em seus empregos, sendo mais difícil reter funcionários


Juntamente com a busca por mais equilíbrio, vem o desejo por modelos de trabalhos mais flexíveis. Para algumas posições, essa possibilidade pode ter um peso até maior do que a própria remuneração, além de demonstrar um relacionamento mais empático na relação entre a empresa e o funcionário. Ainda passaremos por um processo de maturação de jornadas de trabalho remoto e híbrido. Por isso, diante deste contexto, um dos principais desafios é conseguir manter os colaboradores produtivos, engajados e em sintonia com os valores organizacionais, mesmo à distância. Por outro lado, aquelas empresas que estão forçando um retorno físico, provavelmente vão perder talentos. E vale lembrar que turnover (perda de funcionários) prejudica resultados, porque perde-se muito em informação histórica e clima organizacional (além de algumas vezes significar perder clientes, se você fizer parte de uma empresa B2B). Para 2023 as organizações necessitam de uma transformação cultural que se adapte à nova mentalidade de trabalho. Agora eu pergunto: qual o melhor modelo para o seu negócio?


6. Consolidação de tecnologias como AR e VR fazendo experiências físicas se tornarem mais impactantes


Apesar de já estarem em nossos vocabulários há algum tempo, essas tecnologias agora passam a fazer parte significativa de nosso cotidiano, se tornando cada vez mais mainstream por meio dos games, digitalização de museus e programas de treinamento virtual. Isso significa que a experiência em lojas pode ser evoluída para algo mais imersivo, que traga informações sobre produtos e explore os sentidos de maneira a ganhar mais a atenção e expandir o mundo físico de forma multidimensional. Já imaginou como seria a experiência no supermercado que você frequenta, se pudesse usar uma tecnologia para lhe trazer informações adicionais, calcular a sua compra ou mesmo trazer interações divertidas para te entreter? Certamente seria melhor para todas as partes: o cliente, que é empoderado na tomada de decisão e tem mais prazer na experiência, e a loja que tem sua marca memorizada e maior satisfação dos seus clientes, gerando mais valor percebido. Será que seu negócio tem abertura para essa trend? Vale a pena investir ou pensar numa evolução futura?

7. Segurança e uso correto de dados virou urgência e poucas empresas estão adaptadas


Desde a pandemia, migramos toda nossa vida para o universo digital. Isso também fez com que empresas evoluíssem suas operações com dados e tecnologia, mas também fez com que aumentasse o número de ataques cibernéticos no Brasil. As pessoas estão usando muito mais tecnologias e facilidades disponíveis (como o PIX), mas ainda não estão desfrutando de tudo isso com segurança. As grandes empresas estão mais preparadas para fornecer suporte e segurança a seus clientes, reforçando a proteção de dados, mas infelizmente não é a realidade dos negócios menores, que muitas vezes nem estão por dentro da Lei de Proteção de Dados (LGPD). É parte do processo de compra gerar ambientes seguros em transações financeiras e cuidar do uso dos dados do cliente de forma responsável, com base na LGPD. 2023 será a consolidação desse movimento de segurança e privacidade, com um consumidor muito mais ligado. Agora eu pergunto: você usa a permissão do seu cliente para enviar e-mails, whatsapp ou qualquer intrusão de mídia? Você já estudou sobre LGPD minimamente para ajustar seu negócio?


Essa foi a minha curadoria do que entendo ser mais relevante para a maioria dos negócios, diante de milhares de tendências e movimentos emergentes, que impactam todos os tipos de mercados. Espero ter sido útil e ter trazido diversos insights para fazer seu 2023 um ano de muita colheita. Sucesso!


Para mais insights, siga-me no instagram @perla_amabile



4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page